Busca:
Deus, Casamento e Família - Fernando Angelim
Quinta-feira, 29/10/2015 às 13:53h
A FAMÍLIA CRISTÃ

Nos dias atuais existe uma crise na família. O número de divórcios é alarmante, gravidez fora do casamento, adultério, desobediência aos pais, são temas rotineiros na atualidade. Por isso, precisamos lembrar quem criou a Família, qual seu objetivo e quais suas orientações para cumprirmos corretamente o nosso papel. De acordo com Andreas Kostemberg podemos definir família como :

“um homem e uma mulher unidos em matrimônio (salvo no caso da morte de um cônjuge), mais (em geral) filhos naturais ou adotivos e, de modo secundário, qualquer outra pessoa com parentesco consanguíneo.”  (Deus, Casamento e Família Pag 91 Andreas Kostemberg).
           
            A família é uma instituição divina, as leis que regem a família e o papel de cada membro foi instituído pelo próprio Deus, não é algo arbitrário ou subjetivo. O Deus trino, Todo Poderoso, criou Homem e mulher, a sua imagem e semelhança, os orientou a procriar e encher a terra. Lhes deu distintas responsabilidades e privilégios para viverem em comunhão uns com os outros e com Ele, cuidando da criação, obedecendo seus mandamentos e glorificando Seu nome. Contudo, a primeira família desobedeceu a Deus. O Pecado de Adão e Eva fez com que seus descendentes tivessem uma natureza caída. Estes já nascem em pecado e tem uma natureza corrompida. As obras da carne são: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. (Gl 5:19-21) e estas consequentemente tem se tornado motivo de destruição de várias famílias. Logo, entendemos que o principal inimigo da família é o pecado.
            Após a queda da primeira família, Deus estabeleceu as consequências que cada um sofreria, a mulher teria dores na gravidez e o seu desejo seria para o seu marido. E o homem teria que trabalhar mais arduamente para conseguir o sustento. Entretanto, o Senhor também apontou para o Redentor da família, Cristo, a semente da mulher que esmagaria a cabeça da serpente (Gn3:15).
            Cristo morreu pelos nossos pecados, foi sepultado e ao terceiro dia ressuscitou, se nos arrependemos e cremos em Cristo, esta é uma evidência de que nascemos de novo, que fomos regenerados, selados pelo seu Espírito Santo, agora temos condições de combater o pecado. Isso não quer dizer que se formos cristãos não teremos dificuldades e lutas no casamento e na família, e sim que o Senhor nos dá condições de enfrenta-las, não na nossa força mas na Dele. Sobre isso, concordamos com o Rev. Augustus Nicodemus na seguinte citação:

            “O divórcio é aparentemente o caminho mais fácil e rápido para resolver o problema de um relacionamento conturbado; no entanto, os cristãos enveredam pelo caminho mais longo e mais difícil do aprendizado, do quebrantamento, da renúncia e da reconciliação.” (A Bíblia e a sua Família – Augustus Nicodemus pag 14)
            
         Na Carta de Paulo aos Efésios, encontramos na primeira parte a doutrina, o evangelho é pregado e em seguida uma parte prática, a reação daqueles que creem nesta mensagem. Nesta segunda parte encontramos preciosas instruções sobre os diversos aspectos da vida, inclusive sobre este tema.           É importante notarmos que antes de falar a respeito do papel das esposas, maridos e filhos, Paulo dá as seguintes orientações:
Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo.” (Ef 5:18-21)
Sendo assim, entendemos que as instruções subsequentes devem acontecer neste contexto, cada um só poderá realizar corretamente o seu papel pelo poder do Espírito Santo. Muitas vezes atribuímos os conflitos em nossas casas as outras pessoas. Por diversas vezes em aconselhamentos de casais costumamos ouvir: “Fiz isso por que ela começou” e vice versa. Parecem adversários, contudo, geralmente, não observam que apesar da atitude do outro poderíamos reagir de forma diferente se estivermos cheios do Espírito Santo.
Na carta aos Gálatas, Paulo ilustra a ação do Espírito Santo na vida do cristão como um fruto de nove gomos:
“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.” Gálatas 5:22,23. A vida de um cristão verdadeiro deve refletir estas características em alguma medida, porém, devemos buscar ser cheios do Espírito Santo, para que venhamos vê-las mais plenamente em nossa conduta. A ponto de amarmos incondicionalmente, estarmos alegres e em paz independente das circunstâncias, confiantes no Senhor, pacientes nas tribulações e com as falhas dos outros, amáveis e com disposição para fazer o bem para o próximo, fiéis a aliança feita com Deus e com o cônjuge, mansos a ponto de conseguir suportar até provocações sem revidar com grosseria e por fim termos domínio próprio para não tomarmos decisões precipitadas, não agirmos de forma descontrolada nem falar sem pensar. Estas são características que só podem ser produzidas por uma ação do Espírito Santo em nós.
Diante disso, entendemos que por meio do Espírito Santo, somos capacitados para agir de forma adequada com o próximo, e obedecer os mandamentos do Senhor tanto em família quanto em qualquer outro lugar. Logo, devemos reconhecer a nossa dependência do Senhor em todas as coisas, a necessidade de sermos cheios do Espírito Santo, clamar por isso em oração, mergulharmos na Palavra inspirada por Ele e tomarmos cuidado para não o entristecermos com uma vida de pecados sem arrependimento e confissão. (Ef 4:30)

O PAPEL DAS MULHERES (ESPOSAS E MÃES)

            Embora ambos, homem e mulher, tenham sido criados a imagem e semelhança de Deus, com igual dignidade.  Estes foram criados diferentes, com papéis e responsabilidades diferentes. Não se trata de machismo no qual vê as mulheres como uma raça inferior. Nem tampouco feminismo, com a ideia de que não precisam dos homens ou que mulheres devem sempre desempenhar o mesmo papel dos homens. Porém, de COMPLEMENTARIDADE, pois um complementa o outro nas suas respectivas funções e posições. Paulo orienta as mulheres que sejam submissas aos seus maridos como ao Senhor. E argumenta que assim como a igreja está sujeita a Cristo as mulheres devem se sujeitar aos seus maridos. (Ef 5:24) Mostrando que os maridos foram colocados como liderança no lar e humildemente devem se submeter a sua autoridade. É importante ressaltar, que a submissão as autoridades deve ocorrer contanto que esta não infrinja a autoridade maior que é do Senhor. Por exemplo, se um marido disser para a esposa pecar em algum aspecto, esta não deve obedecê-lo, pois, é melhor obedecer a Deus do que aos homens. (At 5:14) Contudo, no geral deve se submeter.
A palavra “submissão” tem estado fora de moda e as vezes escandaliza algumas mulheres modernas. Ser submissa é estar sob a missão do marido, ser sua auxiliadora idônea, ajudar a edificar sua casa, governar seu lar, entendendo que ele terá de prestar contas de sua casa com Deus. Por isso, deve ajudá-lo a ser um líder bíblico. Outro fator que observamos é que esta também deve respeitá-lo (v33), uma mulher que constantemente desrespeita o seu marido age com insensatez, acaba o atrapalhando em sua função de liderança do lar. Algumas mulheres fazem isso em público, enaltecem as falhas íntimas de seus maridos para as outras pessoas ou gritam com eles na frente dos outros, isso é péssimo. Lembre-se “a mulher sábia edifica a sua casa mas com as próprias mãos a insensata destrói seu lar” (Pv 14:1)
Outra missão de importante valor das mulheres é seu papel de mãe. (1Tm 2:15) Ser mãe é uma dádiva e uma grande responsabilidade. O filme “Mãos Talentosas” ilustra a importante influência que uma mãe teve na vida dos filhos, desde pequenos instruindo-os a estudar e honrar o Senhor. A influência daquela mãe (do filme) foi de fundamental importância para o progresso dos filhos, um deles se tornaria um grande neurocirurgião que mudaria a história da medicina e era temente ao Senhor. Outro exemplo, vemos em Lóide e Eunice, avó e mãe de Timóteo. Elas o instruíram desde cedo na Palavra, mulheres de fé genuína, deixaram um importante legado na vida deste jovem pastor e foram elogiadas pelo apóstolo Paulo. (2 Tm 1:5)
Uma outra orientação Bíblica para as mulheres está carta pastoral de Tito. Ele instrui que as mulheres mais velhas deveriam ter um bom testemunho, não deveriam ser caluniadoras e sim piedosas e íntegras para ensinarem as mais jovens a serem prudentes, , amar seus maridos e seus filhos, e cuidarem bem da casa.   
Portanto, mulheres, mães e esposas, saibam que existe uma beleza na feminilidade bíblica, na missão que o Senhor deu para vocês. Sabemos que existem situações excepcionais em que o marido fica inválido, abandona o lar ou morre, etc. E a mãe, guerreira, tenta assumir os dois papéis.
 Porém, no geral, devemos entender claramente que mulheres não precisam ser homens, nem vice versa. Estas fazem coisas que os homens não conseguem fazer e o contrário também é verdade. Qual homem pode engravidar? Qual mulher engravida sem um homem? Um necessita do outro. Mãe é mãe, pai é pai, marido é marido, esposa é esposa. Quando confundimos os papéis a beleza bíblica de cada um se esvanece e o complemento falta.


ORIENTAÇÕES BÍBLICAS PARA AS MULHERES (ESPOSAS E MÃES)

Submissas ao Senhor
Ef 5:22
Auxiliadoras Idôneas
Gn 2:18
Amor, respeito e submissão ao marido
Ef 5:22,33 1 Pe 3:1
Boas donas de casa
Tt 2:5
Mães piedosas
1 Tm 2:15
Conduta cristã exemplar / Ensinar as mais novas
Tt 2:3-5
Modéstia e Prudência
1 Pe 3:3-5
A esposa deve cumprir os seus deveres conjugais para com o seu marido.

1 Co 7:3


O PAPEL DOS HOMENS (MARIDOS E PAIS)

Se o papel das mulheres parece difícil, a responsabilidade dos maridos é maior ainda. Estes precisam amar suas esposas como Cristo amou a igreja. Cristo foi até as últimas consequências, até a morte amou sua igreja. Da mesma forma com amor sacrificial deve o marido amar sua esposa. Se for necessário arriscar sua vida para salvá-la ou protege-la você deve fazer. Esta é uma tarefa dos homens, devemos ser protetores de nossas esposas, protege-las tanto fisicamente (cuidar de sua integridade física), emocionalmente (importar-se com seus sentimentos) e espiritualmente (investir no seu crescimento espiritual e protege-la de más influências, do pecado, do mundo e do diabo).     Devemos ter esse senso de dever fixo em nossas mentes, se nos casamos devemos amar nossa esposa a ponto de, se necessário, sacrificarmos nossa própria em seu favor. É preciso ter coragem para ser um homem bíblico, o texto de Charles Murray ilustra bem este ponto:

Masculinidade Madura:
"Ser homem significava, basicamente, ser corajoso, leal e verdadeiro, aceitar as punições por seus erros, não tirar proveito das mulheres, ser um marido protetor, gracioso na vitória e de espírito esportivo na derrota, ter a palavra como garantia contratual, dedicar-se mais ao modo como o jogo é jogado do que à derrota ou à vitória, e, se diante de um navio que afunda, colocar mulheres e crianças em segurança antes de se despedir com um sorriso no rosto.
O leitor mais jovem deve estar rindo, incrédulo. Mas isso já foi uma espécie de guia para muita gente. Quando o Titanic afundou, em 1912, a maioria dos sobreviventes era, de fato, composta por mulheres e crianças. Já por ocasião do naufrágio do MS Estônia, em 1994, com quase mil mortos, o grosso dos sobreviventes era de homens jovens. Há relatos de que se tratou de um verdadeiro “salve-se quem puder”. Uma mulher com a perna quebrada implorava por ajuda, e nada.
Será que não se fazem mais homens como antigamente?"
Charles Murray. (Fonte: Voltemos ao Evangelho)

Outro fator importante para os maridos lembrarem é que Cristo se importou com a santificação da igreja (Ef 5:26-27). Tomemos este exemplo também para nossas vidas, como maridos bíblicos devemos lembrar que somos sacerdotes do lar. O sacerdote no Antigo Testamento era aquele quem intercedia pelo povo diante de Deus. Devemos interceder por nós mesmos e por nossa família, investir no crescimento espiritual de nossa esposa e filhos. Triste é quando a esposa precisa ficar insistindo para que o marido leia a Bíblia, ou o arrastando para o culto. Essa responsabilidade é nossa, homens de Deus. Levemos a sério este ponto, busque escolher uma igreja bíblica para você e sua família congregarem, tenham o hábito de cultuar juntos ao Senhor em casa, cuide da vida devocional de vocês, uma boa ideia é fazer um culto doméstico, envolvendo oração, louvores e meditação na Palavra, seja um exemplo para os demais.
Além disso, o marido também tem a responsabilidade de ser o provedor do lar. Do suor do seu rosto deve comer o seu pão. (Gn 3:19) Um homem não deve ser preguiçoso, mas trabalhador, por que este é o meio pelo qual fomos instruídos pelo Senhor para assim esperar a sua provisão. A responsabilidade de trabalhar duro para sustento da casa cabe principalmente ao marido.
O marido deve cuidar da sua esposa como cuida do seu próprio corpo, alimentando, nutrindo e não fazendo mal. Pois os dois agora são uma só carne,(Ef 5:28-31) e o que Deus uniu o homem não deve separar. Por isso, o homem não deve ser grosseiro, nem jamais bater em sua esposa, pois esta é mais frágil. (Cl 3:19) Ambos devem desfrutar da benção das relações sexuais (dentro do casamento), cumprindo seus deveres conjugais e levando isso também em consideração, que não devem fazer algo que venha ferir a consciência ou o corpo do outro. ( 1 Co 7:3 / 1Pe 3:7)
  Outro fator importante é que estes devem instruir seus filhos no temor do Senhor, cuidar do crescimento espiritual de seus filhos, ensiná-los com palavras e atitudes. Discipliná-los em amor, porém, sem irritar os filhos. Ou seja, os pais (e mães) devem disciplinar os filhos fisicamente se necessário, mas com equilíbrio emocional, moderação e explicando o motivo pelo qual o filho está sofrendo a disciplina. Pais desequilibrados que espancam seus filhos sem motivo, ou até mesmo para descontar a raiva de outros problemas ou tensões, pecam contra o Senhor. (Pv 22:6 / Pv 13:24 / Ef 6:4)
Por fim, os homens bíblicos devem ser um exemplo para os demais, de integridade, conduta e piedade. Glorificando a Deus em todo seu proceder.

ORIENTAÇÕES BÍBLICAS PARA OS HOMENS (MARIDOS E PAIS)

 Ser temente ao Senhor
Ef 5:21
Amor Sacrificial e protetor
Ef 5:25/1 Pe 3:7
Liderança amorosa
Ef 5:23
Provedor
Gn 3:19
Sacerdote do Lar
Ef 5:25-27
Instruir os Filhos no temor do Senhor
Ef 6:4 Dt 6:7
Conduta cristã exemplar
1 Pe 2:12
O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher.

1 Co 7:3

O PAPEL DOS FILHOS

Os filhos devem ser obedientes aos pais e honrá-los, este é o primeiro mandamento como promessa, para que tudo lhe vá bem e vivas muito tempo sobre a terra. Por isso, estes também devem cuidar dos seus pais na velhice, a Bíblia diz que se alguém não tem cuidado dos seus, principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel. Os filhos e netos deveriam aprender a recompensar seus pais pois isso é bom e agradável diante de Deus (1 Tm 5:4).
Jesus Cristo exortou os fariseus por estes trocarem o mandamento de Deus por costumes dos homens quando estes deixavam de honrar e cuidar dos pais com o motivo de dedicar ao Senhor seus bens, faziam voto de Corbã (Mc 7:9-11). Ou seja, dedicavam seus bens ao templo, contudo o templo só teria o domínio dos bens após a morte daquele que ofereceu, faziam isso para não ajudar os pais. Trocavam o mandamento de Deus por costumes dos homens, Cristo condenou esta prática. Portanto honremos nossos pais e mães e cuidemos deles em sua velhice.
O mesmo que falamos a respeito das esposas serve para os filhos e para qualquer outraquestão de autoridade. Sempre devemos obedecer nossas autoridades, contudo, se nossos pais pedirem para pecarmos não devemos obedecer isso, pois estariam infligindo as ordens de uma autoridade superior, portanto é melhor obedecer a Deus do que aos homens. Por exemplo, existem países em que os pais não aceitam a conversão dos filhos tentam forçar filhos a negar a Cristo, entregam eles a polícia local, ameaçam de morte, porém os filhos não devem negá-lo. A respeito disso que Jesus falou que não veio trazer a paz mas a espada, pois os filhos ficariam contra os pais e os pais contra os filhos (Mt 10:34-35), contudo mesmo nesses casos o filho deve fazer isso com respeito e amor pelos pais e orar pelos que os perseguem. Peça a Deus pela conversão deles se não forem crentes.

ORIENTAÇÕES BÍBLICAS PARA OS FILHOS

Honrar os pais
Ex 20:12
Obedecer os pais
Cl 3:20 / Pv 30:17
Cuidar dos pais da velhice
1 Tm 5:4
Crescer em sabedoria
Pv 1:2
Temer o Senhor
Pv 1:7

Por fim, se você ainda tem pessoas queridas por perto, aproveite para amar, honrar e cuidar de seus pais, esposas (maridos) e filhos quando vocês tiverem oportunidade para fazer isso. Muitos ficam arrependidos pois só veem o quanto eles eram importantes quando estes se vão. Daí pensam como poderiam ter amado mais, honrado mais, investido mais na vida deles. Não espere a morte faça isso hoje.

DICAS PRÁTICAS

Reconheçam a necessidade de serem cheios do Espírito Santo, orem por isso e busquem todos os meios que tiverem para isso. Pais, uma boa dica para vocês é liderar o culto doméstico em casa. Comecem a diariamente tirar um tempo, mesmo que breve, para junto com a sua família orarem, louvarem e meditarem na Palavra do Senhor. Isso faz toda a diferença, procure uma igreja bíblica para congregarem e supervisione o desenvolvimento espiritual de sua esposa e filhos. Esposas instruam e orem por seus filhos.  Orem também por seus maridos, ajude-o em sua missão de cabeça do lar. Se você vê que ele ainda precisa mudar bastante, não vai ser com gritaria que ele aprenderá, mas talvez pelo seu procedimento piedoso possa ganha-lo sem palavras. Seja modesta, temente ao Senhor e submissa ao seu marido. Filhos honrem seus pais, agradeça a Deus por eles e lembre-se que quando eles estiverem velhinhos vão precisar de você.


LIVROS INDICADOS
Deus, Casamento e Família – Andreas Kostemberg com David W. Jones – Editora Vida Nova
A Bíblia e sua Família – Augustus Nicodemus Lopes e Minka Schalkwijk Lopes – Editora Cultura Cristã
Adoração no Lar – Joel Beeke – Editora Fiel

Veja a pregação completa sobre o tema: 

(Pregada dia 25 de outubro de 2015 na Congregação Batista de Belém)

Fonte: www.fernandoangelim.blogspot.com.br


Enquete
Você já sofreu preconceito por causa da sua religião? Leia mais em: Perguntas Polêmicas da Bíblia -

Sim, muitas vezes
Sim, algumas vezes
Não, nunca sofri preconceito por causa da religião Leia mais em: Perguntas Polêmicas da Bíblia - En
Já sofri por não ter religião (Agnóstico / Ateu) Leia mais em: Perguntas Polêmicas da Bíblia - Enqu

Resultado

MULTIMÍDIA

BC NEWS
2015 www.batistadebelem.com.br - Todos os direitos reservados.